As Quedas - Linda Lemos

 

O escritor e jornalista paulista, Diogo Mainardi, escreveu as memórias de um pai em 424 passos: título “A Queda”.  Se a história da arte pode ser dividida entre aqueles que cultuam Deus e aqueles que cultuam o homem, o livro de Mainardi é uma obra de arte que reporta uma fantástica história de vida que se inicia em 2.000, na Itália renascentista, resultado de um erro médico. Seu filho primogênito, Tito, sofre lesão cerebral ao nascer.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      

O livro me chegou às mãos através do amigo e editor Dorian Sampaio Filho. Sou-lhe grata pelo valioso presente. O conteúdo lembrou-me pelo menos 848 passos dados ao lado do meu filho S., nascido em 1979.  Sua recuperação, longa e exaustiva batalha que, iniciou quando conheci Ruth Cavalcante, recém chegada de exílio na Alemanha, trazendo na bagagem o conceito da “estimulação precoce.”  Em prática, o método Bobath, criado pelo casal judeu Karel Bobath, ortopedista, e sua esposa, Berta Busse, professora de ginástica, refugiados na Inglaterra, quando fugiram da perseguição de Adolf Hitler.

Músculos alongados. S. era chacoalhado em uma rede. Posto dentro de um cilindro e rolado pela sala. Ele tinha o quadril atado com faixas elásticas. Era levado a torcer o tronco com as pernas imobilizadas. Tinha os lábios contornados por um adesivo, para parar de babar. Pressionava-se sua língua para minimizar a protusão. Era mantido em postura ereta diante de um espelho. Tinha de sentar-se com os joelhos esticados. Era estendido em uma grande bola vermelha e rolado para frente e para trás. Arremessado em um colchonete de espuma. Ele era estimulado a produzir o movimento de engatinhar. E mais... e mais estímulos, para a  concretização de sua sobrevivência. 

Nós, pais, somos tomados por um sentimento de felicidade quando evitamos as quedas dos filhos. Aprender a cair torna-se para nós tão valioso quanto saber caminhar. Através da literatura, compartilhamos a condição de saúde daqueles que amamos incondicionalmente, e refletimos sobre emoções que clamam por justiça, respeito, dignidade e ação. Escrever sobre estes sentimentos dá sentido às nossas vidas. Cada passo do filho torna-se a unidade de medida para a nossa felicidade. Entre fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, psicólogo, técnicos da equoterapia, assistente de classe, ortopedista, neurologista, exames médicos e cuidadores, trilhamos caminhos em busca de novas descobertas. Tito, entre Veneza e Rio de Janeiro. S., entre Fortaleza e Palm Beach Gandens-USA. Muitos passos, inúmeras quedas.

Segundo a reportagem do Jornal Il Gazzetino, o tribunal civil de Veneza condenou o Hospital de Santi Giovanni e Paolo ao pagamento de mais de 3.000.000 euros a Tito, pela “impropriedade da conduta do pessoal médico”. A manchete: “Menino ficou tetraplégico, ressarcimento milionário”.  O pai de Tito, diz: “em seus primeiros 10 anos de vida, Tito custou-me 3.497.916 ovos”, uma referência aos economistas do Terceiro Reich que avaliaram a economia com o aniquilamento de inválidos ao longo de uma década, em ...batatas, quilos de carnes, salsichas...e por último, em ovos. Comandado por Franz Stangl foram 70.273 inválidos, aniquilados ate 10 de setembro de 1941. Uma economia de 33.731.040 ovos.

Para nós pais é difícil calcular o preço da invalidez porque incalculável é o preço do amor.   

Pesquisar no site

© 2010 ALMECE - Todos os direitos reservados.